28/11/12

ARISTIDES DE SOUSA MENDES

Aristides de Sousa Mendes (1885-1954) foi um diplomata português que durante a II Guerra Mundial salvou cerca de 30 000 judeus da perseguição nazi, quando a França foi invadida pela Alemanha em 1940. Contrariando as ordens do ditador Salazar, passou milhares de vistos em Bordéus e, posteriormente, em Bayonne. Segundo um historiador, foi “a maior ação de salvamento por um único indivíduo durante o Holocausto”.
 
O filme “Aristides de Sousa Mendes – O Cônsul de Bordéus”, realizado em 2011, revela a humanidade e coragem deste português ilustre.


26/11/12

PROCURADOR DE CUIDADOS DE SAÚDE

Foi implementada há 5 meses em Portugal legislação sobre diretivas antecipadas de vontade no âmbito dos cuidados de saúde (Lei n.º 25/2012, de 16 de Julho), sob a forma de um testamento vital ou da nomeação de um procurador de cuidados de saúde. Na minha opinião, a grande vantagem desta lei foi regulamentar a figura de um procurador de cuidados de saúde, que possa representar e decidir pelo paciente “quando este se encontre incapaz de expressar a sua vontade pessoal e autonomamente”(Art. 12.º, n.º1).
  
Para o bioeticista Edmund Pellegrino, o testamento vital deveria ser um documento de último recurso se uma pessoa não tiver ninguém da sua confiança que possa designar como Procurador de Cuidados de Saúde. Isto porque o Testamento Vital não pode especificar todos os detalhes e contingências de situações que poderão vir a ocorrer num futuro mais ou menos distante.

23/11/12

DIA MUNDIAL EM MEMÓRIA DAS VÍTIMAS DA ESTRADA

As lesões causadas por acidentes de viação constituem um sério e negligenciado problema de saúde pública a nível mundial, que requer esforços concertados para uma prevenção eficaz e sustentável. De todos os sistemas com os quais temos de lidar diariamente, os sistemas de trânsito rodoviário são os mais complexos e perigosos. Estima-se que, anualmente e em todo o mundo, cerca de 1,2 milhões de pessoas morrem e 50 milhões são feridas em consequência de acidentes de viação. As projeções indicam que estes números vão aumentar em cerca de 65% nos próximos 20 anos, a menos que exista um novo empenho na prevenção. Ainda assim, a tragédia por trás destes números atrai menos a atenção dos media do que qualquer outro tipo de tragédia menos frequente.

Fonte: Organização Mundial de Saúde.


21/11/12

HUMANIZANDO OS CUIDADOS DE SAÚDE

De 7 a 9 deste mês participei como formador no Curso “Humanizando a Prestação de Serviços de Saúde”, promovido pela PRIME – Partnerships in International Medical Education em parceria com a Faculdade de Ciências da Saúde da Universidade Lúrio, em Nampula, e que decorreu na Sala Magna desta Universidade do norte de Moçambique.

O ensino da PRIME carateriza-se por destacar o modelo antropológico ou biopsicossocial e espiritual na relação médico-paciente, em vez do modelo biomédico, mais centrado na doença e que, apesar de mais divulgado na formação dos profissionais de saúde, tem sido considerado incompleto e insatisfatório pela própria Organização Mundial de Saúde.
 
A PRIME valoriza a língua, a cultura, os conhecimentos e sabedoria dos países onde desenvolve ações de formação, procurando integrar sempre que possível formadores nacionais, que possam dar continuidade à sua visão e valores.
 
 

19/11/12

A VIDA E A ARTE DE ROBERT POPE

Robert Pope, natural do Canadá, faleceu com apenas 35 anos. Durante os últimos dez anos da sua curta vida, procurou combater o linfoma de Hodgkin que acabaria por o vitimar. Nesse período, devido à sua formação artística, representou inúmeras situações que presenciou como paciente. Algumas das experiências que vivenciou denotam falta de humanização na prestação dos cuidados de saúde, que as suas ilustrações representam de uma forma pungente.
 
Poderá conhecer mais acerca da sua vida e obra aqui.

13/11/12

PREVENÇÃO DO HIV-SIDA EM MOÇAMBIQUE

Um dos principais comportamentos de risco associados à propagação do HIV-SIDA (AIDS) são relações sexuais extraconjugais. Os dois vídeos seguintes, realizados em Moçambique no âmbito de uma campanha de prevenção, pretendem alertar a população, sobretudo as camadas mais jovens, para este importante problema sanitário e social.
 




12/11/12

QUE MÉDICOS QUEREMOS EM MOÇAMBIQUE

No passado dia 5 deste mês realizou-se mais uma sessão de lançamento do meu livro Que Médicos Queremos?, desta vez no Instituto Camões – Centro Cultural Português, na cidade de Maputo. Intervieram nesta sessão o Dr. Mário Godinho de Matos, Embaixador de Portugal, o Dr. Alberto Vaquina, Primeiro-Ministro de Moçambique (que apresentou o autor), o Prof. Doutor Mohsin Sidat, Diretor da Faculdade de Medicina da Universidade Eduardo Mondlane (que apresentou a obra) e o Dr. Alexandre Manguele, Ministro da Saúde de Moçambique.
 
 
 
No dia 9 teve lugar uma sessão de apresentação do livro na Sala Magna da Universidade Lúrio, em Nampula, com a presença do Prof. Doutor Jorge Ferrão, Magnífico Reitor da Unilúrio, do Dr. José Carlos Henriques, distinto neurocirurgião do Hospital Central de Nampula (que apresentou a obra) e do Dr. Celso Belo, Diretor da Faculdade de Ciências da Saúde da Unilúrio. Esta sessão foi integrada no Curso “Humanizando a Prestação de Serviços de Saúde”, promovida pela PRIME – Partnerships in International Medical Education em parceria com a Universidade Lúrio.
 
A comercialização do livro em território moçambicano será feita pela Livraria Conhecimento.