29/02/12

SALVAR VIDAS: PROJETO NACIONAL

"A morte súbita de causa cardíaca é frequente em Portugal e acontece nos locais e nos momentos mais inesperados. Por outro lado, a cultura de emergência médica, nomeadamente ao nível do suporte básico de vida, é incipiente. Existe a ideia generalizada de que as práticas de emergência médica respeitam apenas à classe médica e paramédica, estando o cidadão comum excluído das mesmas. A cadeia de sobrevivência não é do conhecimento generalizado da população.

Consciente destes factos, o CPR - Conselho Português de Ressuscitação, uma entidade sem fins lucrativos que tem como missão a promoção das boas práticas relacionadas com a reanimação e o desenvolvimento da consciência social e cívica que permita consolidar a cadeia de sobrevivência, lança agora o projeto “Salvar Vidas”, um desafio a nível nacional que tem como objetivo criar um sentimento generalizado, uma consciência cívica em torno deste problema".

Pode obter mais informações sobre este projeto aqui.

27/02/12

Lady CAROLINE COX

Conheci pessoalmente a baronesa Lady Caroline Cox em 2007, num Encontro de profissionais de saúde que se realizou em Málaga, no sul de Espanha. Nesse evento, deu a conhecer o trabalho humanitário que desenvolve a favor dos que são discriminados, torturados e perseguidos, por motivos étnicos ou religiosos, em vários pontos do globo. Convidei-a a partilhar essa atividade no curso PRIME que organizei no Hospital da Luz, em Lisboa, no ano seguinte, numa sessão presidida pela Dr.ª Maria de Jesus Barroso.
 
A coragem de ferro de Lady Cox, a sua energia inesgotável, a sua generosidade e interesse pelas pessoas com quem se cruza, e o trabalho notável da Associação que fundou, a HART – Humanitarian Aid Relief Trust, levam-me a colocá-la no mesmo patamar que personalidades superiores como Martin Luther King Jr., Madre Teresa de Calcutá ou Nelson Mandela. Não me surpreenderia se, tal como eles, fosse distinguida com o Prémio Nobel da Paz.


16/02/12

UM DIA BRANCO (POEMA DE SOPHIA)

Dai-me um dia branco, um mar de beladona
Um movimento
Inteiro, unido, adormecido
Como um só momento.

Eu quero caminhar como quem dorme
Entre países sem nome que flutuam.

Imagens tão mudas
Que ao olhá-las me pareça
Que fechei os olhos.

Um dia em que se possa não saber.

Sophia de Mello Breyner Andresen (1919-2004)

13/02/12

VARIZES: UMA DOENÇA CRÓNICA


É atualmente consensual que a presença de varizes dos membros inferiores e a insuficiência venosa em geral (quando existem alterações hemodinâmicas no sistema venoso ao exame doppler, mesmo quando não se identifiquem varizes na observação clínica) são uma doença crónica.
Por esse motivo, é necessário um acompanhamento e vigilância periódica nas consultas de Cirurgia Vascular (p. ex. uma vez por ano), mesmo após tratamentos cirúrgicos ou endovasculares bem sucedidos, tal como se recomenda uma visita periódica ao médico dentista para prevenir cáries e outros problemas dentários.

08/02/12

QUANTO MAIS DEPRESSA, MAIS DEVAGAR




Em 1988 o Henrique teve um acidente de mota causado por excesso de velocidade.

A próxima vez que conduzir depressa, lembre-se do Henrique!

06/02/12

AS CAUSAS DA HOMOSSEXUALIDADE

Pode ler aqui o resultado de um estudo rigoroso e bastante completo em que se analisam as evidências científicas acerca de eventuais causas neurobiológicas, genéticas ou psicossociais da homossexualidade. O autor concluiu que, embora possa existir alguma predisposição biológica para a homossexualidade, os factores ambientais, em particular o tipo de relação entre pais e filho, são muito mais importantes para o desenvolvimento e expressão da sexualidade humana. Considera que a tese do determinismo biológico da homossexualidade é uma falácia, sendo possível a mudança de orientação sexual para os que verdadeiramente a desejam.

02/02/12

CONSELHO DA EUROPA REJEITA A EUTANÁSIA

O Conselho da Europa aprovou, no passado dia 25, uma resolução sobre as declarações antecipadas de vontade (testamento vital), intitulada Protecting human rights and dignity by taking into account previously expressed wishes of patients, onde se afirma que “a eutanásia deve ser sempre proibida” (artigo 5).
Ainda que esta Declaração não seja juridicamente vinculativa para os governos europeus, é a primeira vez, nas últimas décadas, em que a prática da eutanásia é claramente rejeitada por uma instituição política europeia, tal como refere o European Centre for Law and Justice.